Roberta lidera Sesc RJ em busca de mais uma final

maestrina

20 de março de 2018

Roberta é a capitã do Sesc RJ

(Divulgação/Sesc RJ)

Pelas mãos da levantadora Roberta saem as jogadas da equipe mais vencedora da história da Superliga Cimed feminina, o Sesc RJ. Em busca do 13º título, o time carioca tem entre suas líderes a jogadora paranaense que disputa a oitava temporada no grupo do treinador Bernardinho. Titular ao longo das duas últimas, Roberta é uma das personagens fundamentais na busca das cariocas por mais uma final. Sesc RJ e Camponesa/Minas (MG) iniciarão a série semifinal entre as equipes às 21h30 da próxima sexta-feira (23.03), na Arena Minas, em Belo Horizonte (MG). O SporTV transmitirá ao vivo. 

A levantadora de 27 anos comentou sobre o fato de ser uma das líderes de uma das mais tradicionais equipes do voleibol brasileiro. 

“Liderar uma equipe como o Sesc RJ não é tão difícil, temos um grupo muito unido e gostoso de se trabalhar. Isso com certeza ajuda nessa questão. Liderança sempre foi algo que cobraram de mim, dentro de quadra era mais quieta, e nunca fui de falar muito. Tive que trabalhar isso com o passar dos anos e ainda tenho muito o que melhorar, mas já sinto um crescimento grande”, disse Roberta, que encara a pressão de uma forma tranquila. 

“Ser levantadora de uma equipe campeã e com tanta responsabilidade as vezes pode ficar pesado, mas tento levar da forma mais leve possível e saber que estamos crescendo na competição me deixa muito contente. A levantadora precisa guiar o time ao melhor desempenho e espero poder ajudar cada vez mais”, explicou Roberta. 

Ao fazer uma análise sobre o desempenho do Sesc RJ na competição, Roberta chama a atenção para força do grupo carioca que enfrentou lesões de peças importantes ao longo da Superliga Cimed. 

“Começamos a temporada sem a Juciely e a Gabizinha. A Gabiru ocupou o espaço e vinha bem, mas infelizmente sofreu uma grave lesão. Demoramos um pouco a achar nosso ritmo e buscávamos regularidade. Mesmo com os problemas físicos terminamos o turno e o returno na segunda colocação. A importância desse grupo é muito grande. O Bernardo zela muito por isso e precisamos de todas o tempo inteiro. Assim, acabamos nos fortalecendo. Vamos entrar na semifinal com muito foco e sabendo o que precisamos buscar”, afirmou Roberta. 

Sobre a expectativa para a série semifinal contra o Camponesa/Minas, Roberta espera jogos difíceis em duelo tradicional do voleibol brasileiro. 

“Sabemos da importância dessa fase e de como é cansativa. É a mesma semifinal do ano passado e o Minas cresceu muito durante a temporada. Elas têm um grupo forte, com ótimas jogadoras e bem encaixado. Temos que nos preparar muito bem e cada detalhe é importante. A equipe que controlar melhor a ansiedade e errar menos terá vantagem. Acredito que será uma fase com ótimos jogos”, apostou Roberta. 

Além de Sesc RJ x Camponesa/Minas, a outra série semifinal também será iniciada na sexta-feira (23.03), às 19h, com o duelo entre Dentil/Praia Clube (MG) e Vôlei Nestlé (SP), no Praia Clube, em Uberlândia (MG). 

SUPERLIGA CIMED FEMININA 2017/2018

Semifinal

Primeira rodada

23.03 (SEXTA-FEIRA) – Dentil/Praia Clube (MG) x Vôlei Nestlé (SP), às 19h, no Praia Clube, em Uberlândia (MG) – SPORTV
23.03 (SEXTA-FEIRA) – Camponesa/Minas (MG) x Sesc RJ, às 21h30, na Arena Minas, em Belo Horizonte (MG) – SPORTV

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do vôlei brasileiro