Filho de Marcelo Negrão, Gabriel Negrão defende Sesi-SP no Campeonato Brasileiro Interclubes sub-21

01 DE JULHO

Filho de Marcelo Negrão, Gabriel Negrão defende Sesi-SP no Campeonato Brasileiro Interclubes sub-21
Filho de Marcelo Negrão, Gabriel vai disputar o CBI sub-21 (Créditos: Arquivo Pessoal)


Muito antes de Gabriel Negrão nascer, seu pai Marcelo Negrão fez história no vôlei, marcando o ponto que garantiu o primeiro ouro olímpico para o Brasil na modalidade, nos Jogos de Barcelona 1992. A conquista de 30 anos atrás é inspiração para o ponteiro de 17 anos, ainda que ele não conseguisse entender completamente a fama do seu pai quando era criança. A partir dessa segunda-feira, dia 4, Gabriel defende o Sesi-SP no Campeonato Brasileiro Interclubes (CBI) masculino sub-21, realizado pela Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) em parceria com o Comitê Brasileiro de Clubes (CBC). A competição acontece no Ginásio do Taquaral, em Campinas (SP).

Confira a tabela completa do CBI sub-21 masculino

 “Quando eu era mais novo, sempre soube que era filho de alguém famoso, porque ele era muito reconhecido nas ruas. Mas eu não tinha noção do feito dele para o Brasil e para o vôlei. Ser campeão olímpico é o maior patamar que um atleta pode chegar, e ele ter feito isso muito novo é algo que a gente sempre lembra, é algo que eu almejo. Além de tudo meu pai é meu melhor amigo, está sempre me ajudando, sempre me aconselhando”, diz Gabriel.

 “Tem uma pressão grande, porque as pessoas acham que eu vou fazer a mesma coisa que ele fazia, mas nós temos estilos de jogo diferentes, eu não jogo na posição dele. No início me incomodava muito, hoje eu lido bem, evito pensar nisso. Eu sou o Gabriel Negrão e ele é o Marcelo. Ele jogava de oposto e eu sou ponteiro. No jeito, sou muito parecido com ele, gosto de tirar sarro, sempre estar dando risada. E tecnicamente também, o salto é muito parecido, o jeito de atacar, mas as funções em quadra são outras”.

 O vôlei não foi a primeira escolha de Gabriel. Até 2017, ele jogava futebol nas categorias de base do São Paulo quando decidiu trocar os gramados pelas quadras do Sesi-SP e se encontrou no esporte.

“No início meu pai ficou um pouco assustado, porque eu não era muito ligado em vôlei. Mas ele me apoiou, disse que se era isso que eu queria, ele sempre ia estar ao meu lado, me apoiando e aconselhando. É uma felicidade disputar o Campeonato Brasileiro Interclubes. Desde 2017 eu via treinos dos meninos mais velhos e ficava apaixonado pelo que estava acontecendo. Estar hoje no grupo é muito gratificante, mostra que estou fazendo um bom trabalho”, acredita Gabriel.

Além do Sesi-SP e do Vôlei Renata (SP), anfitrião da competição, o CBI sub-21 masculino conta com Minas Tênis Clube (MG), Tijuca Tênis Clube (RJ), Flamengo (RJ), Fluminense (RJ), Praia Clube (MG), Elase (SC), Sada Cruzeiro (MG), Desportivo Rio Grande (RN), Instituto Vitaliza (PE) e Unifor CE).

As equipes serão divididas em três grupos de quatro times, com os clubes se enfrentando dentro da chave. Na primeira fase, os times se enfrentam em melhor de três sets, com cada parcial valendo um ponto. Os oito melhores na classificação geral se enfrentam nas quartas-de-final, novamente em melhor de três sets. A partir das semifinais, as equipes jogam até cinco sets.

 A seleção brasileira sub-21 estará bem representada na competição. Dezenove atletas que disputaram a Copa Bicentenário da Independência, entre 20 e 24 de junho, no Rio de Janeiro, estarão em quadra no Ginásio do Taquaral.

 “Essa competição é uma grande oportunidade de os atletas se enfrentarem em jogos de nível elevado, além de valorizar o trabalho dos treinadores e dos clubes”, afirmou Guilherme Novaes, técnico da seleção sub-21.

 Esta é a quinta edição do CBI sub-21 masculino, e o Minas Tênis Clube foi campeão das quatro competições anteriores. Tijuca Tênis Clube (2017), Botafogo (2018), Flamengo (2019), e Praia Clube (2021) já foram vice-campeões.

Calendário 2022/2023

O torneio masculino sub-21 abre o calendário 2022/2023 dos Campeonatos Brasileiros Interclubes. A disputa sub-21 feminina será de 12 a 16 de setembro, em Curitiba (PR).

As classificatórias do sub-19 masculino serão de 5 a 8 de outubro, em Florianópolis (SC) e Porto Alegre (RS), e as classificatórias sub-19 femininas serão de 12 a 15 de outubro, em Caxias do Sul (RS) e Curitiba (PR). As fases finais das duas categorias serão de 13 a 16 de dezembro, em Saquarema (RJ).

No sub-17, as classificatórias masculinas serão de 20 a 23 de setembro, em Campinas (SP) e Curitiba (PR); e as classificatórias femininas, de 27 a 30 de setembro, em Volta Redonda (RJ) e Belo Horizonte (MG). As etapas finais serão de 6 a 9 de dezembro, em Saquarema.

O sub-16 masculino e o sub-16 feminino serão disputados em etapa única, de 10 a 14 de abril de 2023, em Curitiba (PR) e Fortaleza (CE), respectivamente.

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro


Aplicativo CBV.
Baixe agora!

Baixe agora o Aplicativo Vôlei Brasil, faça seu cadastro e receba todas as novidades das competições, alertas dos seus jogos favoritos, além de assistir a vídeos ao vivo.

Baixe na Apple Store Baixe na Google Play
Banco do Brasil

PATROCINADOR OFICIAL

Parceiros Oficiais