Terceira etapa pode ser palco da milésima vitória de Ágatha

20 DE OUTUBRO

Terceira etapa pode ser palco da milésima vitória de Ágatha
Ágatha está a dois resultados positivos da milésima vitória (Créditos: Ana Patrícia/Inovafoto/CBV)

A sensação de uma vitória é inigualável para qualquer atleta. Imagine viver mil vezes essa emoção? É essa a expectativa de Ágatha na terceira etapa do Circuito Brasileiro Open de Vôlei de Praia 2021, que acontece na Escola de Educação Física do Exército (EsEFEx), no Rio de Janeiro (RJ). A paranaense estreia no torneio principal nesta quinta-feira (21.10) precisando de apenas mais dois triunfos para chegar à milésima vitória na carreira.  

“Quando você pensa em mil vitórias, pensa em tudo o que viveu até chegar nesse número. Esse caminho está povoado de pessoas importantes. Foram 15 parceiras nesses anos. Penso em todas as equipes que trabalharam comigo, os técnicos, todos do estafe, todas essas pessoas fazem parte dessa história. Sou muito agradecida a todos que me ajudaram a chegar nesta marca. Valorizo muito o trabalho de cada uma delas, pois não se consegue nada sozinho”, diz a atleta, medalha de prata nos Jogos Olímpicos do Rio, em 2016. 

O torneio principal da terceira etapa do Circuito Brasileiro terá 24 duplas de cada gênero. Na primeira fase, os times serão divididos em seis grupos de quatro. Os dois melhores de cada grupo e outros quatro terceiros colocados seguem para as oitavas de final, quando os duelos passam a ser em sistema de eliminatória simples até a decisão, no domingo (24.10). 

Se acontecer nesta terceira etapa, a milésima vitória de Ágatha será ao lado de Duda, 15ª parceira da jogadora, que já disputou torneios ao lado de Shirley, Cíntia, Sueli, Fabí, Bruna, Raquel Pelluci, Andreia Teixeira, Luiza Amélia, Isabela Maio, Sandra Pires, Shaylyn, Carol Solberg, Maria Elisa e Bárbara Seixas.  

“Eu comecei relativamente tarde no vôlei de praia, pois jogava na quadra antes. Comecei com 18 anos. E só fui vencer o meu primeiro jogo oficial com 19 ou 20 anos. Eu perdi muito no Circuito Brasileiro antes de conseguir a primeira vitória. Por ter começado tarde, nem imaginava que poderia alcançar esta marca. Tem muito a ver com minha persistência no esporte, o amor que tenho pelo que faço, por continuar jogando. Tem a ver com esse amor pelo vôlei e por jogar”, diz.  

Para a jogadora, a essência da jovem que venceu pela primeira vez é a mesma que move a atleta consagrada, de 38 anos, que além de medalhista olímpica, foi campeão mundial em 2015. 

“A Ágatha da primeira vitória era uma menina sonhadora e cheia de fé, que nem imaginava que poderia chegar a esta marca, e conquistar tanta coisa bacana na carreira. Essa menina sempre teve um desejo enorme de se tornar atleta profissional e viver de esporte. E principalmente, ter a oportunidade de representar o Brasil nos Jogos Olímpicos. Isso sempre foi um grande sonho, e naquela época eu não tinha noção de como seria o caminho, mas sempre me entreguei de corpo e alma, me divertindo no processo”. 

Hoje, a apenas duas vitórias da milésima na carreira, Ágatha se mostra mais consciente do que a cerca, e grata em relação a tudo que viveu por causa do esporte. 

“Não tem como falar de mim sem falar do vôlei. O esporte entra em nossa vida de um jeito que se mistura com o lado pessoal. O esporte ajuda a moldar a nossa personalidade, é algo intenso. A gente se doa muito. É incrível olhar para trás e ver tudo o que já aconteceu, tudo que o esporte me deu, o quanto sou grata. Fico pensando na quantidade de pessoas que conheci por causa do vôlei, o tanto de experiências que vivi, é algo incrível. Tenho esse sentimento de gratidão por tudo o que me fez ser quem sou hoje. O esporte me ensinou e me ensina todos os dias”, diz. 

As etapas do Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia Open 2021 têm cobertura de transmissão com os canais oficiais da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV), pelo Facebook da entidade ou pelo Canal Vôlei de Praia TV. Duas semifinais (uma de cada gênero) e as finais são exibidas pelos canais SporTV. 

Na temporada 2021, cada etapa dá um prêmio de 48 mil reais para as duplas campeãs. A EsEFEx foi sede da primeira parada, que teve ouro para Vitor Felipe/Renato Andrew (PB) e Rebecca/Talita (CE/AL); e da segunda, com títulos para Evandro/Álvaro Filho (PB) e Elize Maia/Thâmela (ES). Itapema (SC) recebe a quarta parada (3 a 7 de novembro), enquanto a quinta e última etapa acontece entre 1 e 5 de dezembro em Cuiabá (MT). 

CIRCUITO BRASILEIRO OPEN DE VÔLEI DE PRAIA 2021 

TERCEIRA ETAPA 

Local: Escola de Educação Física do Exército (EsEFEx), no Rio de Janeiro (RJ) 

21.10 (QUINTA-FEIRA) – Fase de grupos – das 8h às 19h 

22.10 (SEXTA-FEIRA) – Fase de grupos, repescagem e oitavas de final – das 8h às 17h 

23.10 (SÁBADO) – Quartas de final e semifinais– das 8h às 18h 

24.10 (DOMINGO) – Finais e disputas pelo bronze – das 8h40 às 12h 

Transmissões – Facebook da CBV (apenas quadra 1), Vôlei de Praia TV (todas as quadras) e canais SporTV (uma semifinal masculina, uma semifinal feminina e as finais de ambos os gêneros) 

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro  


Aplicativo CBV.
Baixe agora!

Baixe agora o Aplicativo Vôlei Brasil, faça seu cadastro e receba todas as novidades das competições, alertas dos seus jogos favoritos, além de assistir a vídeos ao vivo.

Baixe na Apple Store Baixe na Google Play
Banco do Brasil

PATROCINADOR OFICIAL

Parceiros Oficiais