ELEIÇÃO 2021 CBV CLIQUE AQUI E ACESSE OS DOCUMENTOS.

Seminário virtual da Academia do Voleibol debate a importância da análise de dados e estatística

18 DE SETEMBRO

Seminário virtual da Academia do Voleibol debate a importância da análise de dados e estatística
Em sentido horário, acima, Sandra Caldeira, Adriano Roza, Carlos Rios e Márcia Albergaria (Créditos: Reprodução)

Do Rio de Janeiro (RJ) – 17.09.2020

A análise de dados e informações estatísticas no esporte foi o tema desta quinta-feira (17.09) no 41° encontro virtual da Academia do Voleibol. O projeto visa          difundir conhecimento com palestras gratuitas para profissionais de todo país em temas relacionados ao vôlei. A apresentação nesta edição foi da professora Sandra Caldeira, especialista em estatística aplicada ao esporte, e Adriano Roza, preparador físico da seleção brasileira feminina Sub-20, criador de softwares de análise de dados.

O uso das informações e estatísticas tornou-se fundamental ao longo dos anos nas equipes de voleibol. E a palestrante Sandra Caldeira foi precursora no desenvolvimento da atividade. Formada na área de exatas, Sandra trabalhou com a seleção masculina entre 1986 e 1996, sendo responsável também pelo desenvolvimento do sistema de informação utilizado pela Federação Internacional de Voleibol (Fivb).

Sandra Caldeira comentou sobre os princípios que tornam a análise de dados importante, podendo definir metas, permitindo uma avaliação constante do desempenho e fornecendo dados de estudo sobre o estilo de jogo dos adversários.

“A informação estatística está presente para auxiliar a comissão técnica e atletas no plano de trabalho. Na determinação dos critérios e metas para fundamentos, apontar a direção que se quer tomar. E serve também de subsídio para acompanhar a evolução como um todo. No plano de jogo, permite o estudo dos pontos fracos e fortes, a especialização de cada atleta adversário e a construção de alternativas dentro dos jogos”, declarou.

Sandra Caldeira também foi criadora do modelo de análise de dados implementado na Superliga de 1996 até 2017. A professora destacou as diferentes interpretações possíveis com os mesmos dados coletados, lembrando que o parâmetro é um ponto fundamental na atividade.

“A comissão técnica define os parâmetros e critérios da análise de dados, baseada no modelo de trabalho. É possível olhar os números de maneiras distintas, por eficiência, eficácia, coeficiente de produtividade. Utilizando como comparação uma equipe adversária, a média de um torneio internacional. O mesmo dado possui múltiplas leituras e quem decidirá a maneira ideia de utilizar é a comissão”, disse Sandra.

Após a fala de Sandra Caldeira, foi a vez de Adriano Roza apresentar algumas visões práticas da utilização em uma equipe. Preparador físico da equipe de São Caetano (SP) e da seleção brasileira feminina sub-20, Adriano começou a se interessar pelo tema trabalhando na equipe de São Caetano, que na época não contava com um profissional exclusivo da área.

“Inicialmente fazíamos a coleta de estatísticas na prancheta, anotando os dados durante a partida. Comecei a desenvolver um software que apresentava uma análise dos dados e ao longo dos anos aperfeiçoando. Um programa que posteriormente foi utilizado no vôlei de praia, com a prata olímpica de Alison/Emanuel, o ouro olímpico de Alison/Bruno Schmidt, e agora, que estará em Tóquio com Alison/Álvaro Filho”, disse Adriano, que completou.

“O analista de desempenho precisa saber como o técnico entende o jogo. Não adianta ele começar a colher dados da maneira que julga correta, se o treinador tem outra visão. É necessário entender a necessidade da comissão, cruzar dados e não analisar fundamentos completamente isolados, de forma fria”.

A palestra também contou com mediação de Carlos Rios, o Carlão, presidente da Comissão Nacional de Treinadores (Conat) e Márcia Albergaria, da Universidade Corporativa de Voleibol (UCV). Carlão celebrou a oportunidade de contar com profissionais tão capacitados em mais uma edição da Academia do Voleibol.

“Estamos muito bem servidos com duas pessoas tão ilustres, agradeço muito a generosidade de Sandra e Adriano em colocar o tempo de vocês à disposição e trazer aos nossos profissionais tanto conhecimento e experiência. A Academia proporciona encontros importantes para que cada dia mais os profissionais possam se preparar da melhor forma, conhecerem cursos, visões de trabalho. A análise de desempenho é um tema muito interessante e se tornou fundamental no voleibol atual”, disse.

Esse foi o 41° encontro da Academia do Voleibol, que realiza reuniões virtuais com temas variados sobre vôlei de praia, vôlei de quadra e Conat (Comissão Nacional de Treinadores). O conteúdo fica disponibilizado no YouTube da CBV (youtube.com/voleibrasil1) e no Canal Vôlei Brasil (http://canalvoleibrasil.cbv.com.br).

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro


Aplicativo CBV.
Baixe agora!

Baixe agora o Aplicativo Vôlei Brasil, faça seu cadastro e receba todas as novidades das competições, alertas dos seus jogos favoritos, além de assistir a vídeos ao vivo.

Baixe na Apple Store Baixe na Google Play
Banco do Brasil

PATROCINADOR OFICIAL

Parceiros Oficiais