SOU + VÔLEI: Chegou a plataforma de relacionamento e fidelização do vôlei nacional. CLIQUE AQUI E CADASTRE-SE.

Seminário online da CBV debate o cenário mundial da arbitragem no vôlei de praia

05 DE SETEMBRO

Seminário online da CBV debate o cenário mundial da arbitragem no vôlei de praia
José Casanova durante apresentação de palestra sobre arbitragem (Créditos: Reprodução)

Do Rio de Janeiro (RJ) – 05.09.2020

A comunidade da arbitragem do vôlei de praia brasileiro foi presenteada na tarde deste sábado (05.09) com um conteúdo de alta qualidade. A 35ª edição da Academia do Voleibol contou com um seminário online que debateu o cenário mundial da profissão com um convidado internacional: o português José Casanova, secretário da Comissão de Arbitragem da Federação Internacional de Voleibol (Fivb).

A palestra contou com mediação da árbitra internacional e membro da Comissão de Arbitragem da Fivb, Maria Amélia Villas-Bôas. No bate-papo transmitido de maneira gratuita através do Canal Vôlei Brasil, Casanova resumiu o funcionamento das estruturas de arbitragem internacional, qualidades esperadas dos apitadores de nível mundial e comentou sobre as principais dúvidas relacionadas à profissão.

“Existem aspectos essenciais na competência dos árbitros internacionais que estão relacionados com a parte técnica. Mas olhando para aquilo que faz um árbitro ser de elite, existem competências sociais, humanas e éticas. Competências que estão integradas à personalidade. Os árbitros de sucesso são pessoas que precisam ter esse conjunto de técnica, social e humana”, declarou Casanova, que completou.

CLIQUE E ASSISTA OUTRAS PALESTRAS DA ACADEMIA DO VOLEIBOL

“E existem pontos complementares como boa condição física, que permite estar bem em situações de estresse, de partidas longas e desgastantes. O domínio gestual, linguagem corporal, domínio do inglês, tudo isso também é fundamental no exercício da função nos dias de hoje. Quando sabemos explicar a razão de nossas decisões, os atletas ficam muito mais abertos para aceitar e acatar a decisão dos árbitros”, destacou.

Casanova iniciou carreira como árbitro de voleibol indoor, mas migrou para a arbitragem do vôlei de praia em 1993, participando em diversas edições dos Jogos Olímpicos. Em 2001, assumiu posição de comissário de arbitragem da Fivb. Ele também participou ativamente da revolução da tecnologia na arbitragem, com a chegada do árbitro de vídeo, que foi sendo ajustado até encontrar o formato ideal.

“O árbitro de vídeo não pode ser o árbitro de quadra ao mesmo tempo. É preciso que seja alguém separado, distante das emoções da partida e que possa apontar a correção da marcação. E a questão da experiencia e especialização. Alguém que realiza essa função tem que ter treinamento específico. Conseguimos aprovar isso e realizar cursos”, declarou.

LEIA MAIS: Definidas duplas inscritas para etapa de abertura da temporada

A mediadora Maria Amélia Villas-Bôas enviou as perguntas dos internautas e fez questão de destacar a importância de Casanova na condução da arbitragem junto à Fivb.

“A contribuição do Casanova é inestimável para a arbitragem do vôlei de praia. Você (Casanova) deve ter muito orgulho, não apenas pelos avanços no árbitro de vídeo, mas por toda organização que trouxe para a arbitragem do vôlei de praia. O nível de exigência e perfeccionismo certamente contribuiu para nossa evolução”, declarou.

Casanova também destacou a qualidade técnica da arbitragem brasileira, lembrando que o Circuito Brasileiro de vôlei de praia é responsável por ‘testar’ muitos profissionais que posteriormente se consolidam nos torneios internacionais.

“O Brasil possui um torneio nacional de nível elevado, muitas vezes mais elevado que alguns torneios do Circuito Mundial. Claro que não existe a demanda do inglês e algumas questões de tecnologia, mas os profissionais brasileiros são solicitados para contribuir nos mais elevados níveis de competições mundiais. O Brasil provavelmente está no mais alto nível”, destacou.

Quem também marcou presença no seminário foi o presidente da Comissão Brasileira de Arbitragem de Voleibol (Cobrav), o árbitro internacional George Kuroki. Ele agradeceu a oportunidade de levar o tema da arbitragem para mais uma edição da Academia.

“A Cobrav agradece imensamente à CBV, na pessoa do diretor executivo Radamés Lattari, pelo espaço, pela estrutura de tecnologia e pessoal, para realizar esse encontro com Casanova. Temos mais uma oportunidade de dividir conhecimento com árbitros de todas as regiões do país. É uma presença que valoriza muito nosso evento”, disse.

Esse foi o 35º encontro da Academia do Voleibol, que realiza reuniões virtuais com temas variados sobre vôlei de praia, vôlei de quadra e Conat. O conteúdo fica disponibilizado no YouTube da CBV (youtube.com/voleibrasil1) e no Canal Vôlei Brasil (http://canalvoleibrasil.cbv.com.br).

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro


Banco do Brasil

PATROCINADOR OFICIAL

Parceiros Oficiais