Brasil encerra temporada de seleções com bons números

Publicado em: 18/10/2019 15:48
?20200402052119
Comemoração da seleção masculina com o título da Copa do Mundo (Créditos: Divulgação/FIVB)

Encerrada a temporada de seleções brasileiras de vôlei, o balanço é positivo. A equipe masculina de vôlei disputou 45 jogos com a seleção principal no ano de 2019. Foram 42 vitórias. Apenas quatro resultados negativos, que vieram ainda no começo da temporada, na Liga das Nações, onde a equipe estreou sem tempo de realizar sequer um treino com o grupo completo. Depois disso, só vitórias no Campeonato Sul-Americano, amistosos, Memorial Wagner, Pré-Olímpico e Copa do Mundo. Na seleção feminina, foram 40 partidas e 30 vitórias, aproveitamento de 75%, novos nomes se firmando como destaque, como da oposta Lorene, e retorno de nomes importantes, como das campeãs olímpicas Fabiana e Sheilla.

A temporada masculina começou com a Liga das Nações, disputada entre os dias 31 de maio e 14 de julho, e o total de 19 jogos. Na primeira etapa, na Polônia, três vitórias (Estados Unidos, Austrália e Polônia). Depois, no Japão, vitórias sobre Irã, Japão e Argentina. Em Portugal, resultados positivos sobre a China e os donos da casa e o primeiro negativo, para a Sérvia. Em casa, em Cuiabá e Brasília, só vitórias: Bulgária, Alemanha, Rússia, e França, Canadá e Itália. A Fase Final, nos Estados Unidos, contou com as derrotas para poloneses, duas vezes, e norte-americanos e, ainda, uma vitória sobre o Irã. O Brasil ficou em quarto lugar.

O Memorial Wagner, um torneio tradicional, na Polônia, contou com fortes seleções e serviu como uma grande preparação para o Pré-Olímpico, que viria na sequência e era apontado como o grande objetivo da seleção brasileira em 2019. Em Cracóvia, entre os dias 1 e 3 de agosto, o Brasil superou Finlândia, Polônia e Sérvia e ficou com o título.

No dia seguinte a comemoração, a delegação brasileira já seguiu para a Bulgária para os três jogos mais importantes da temporada. Em Varna, nos dias 9, 10 e 11 de agosto, o time dirigido pelo técnico Renan encarou três partidas decisivas. Era preciso vencer para garantir a vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020 e o Brasil bateu Porto Rico, Egito e a Bulgária, em um jogo épico, onde os donos da casa venceram os dois primeiros sets e o Brasil virou o jogo e garantiu a classificação.

No Sul-Americano, que aconteceu de 10 a 14 de setembro, no Chile, mais cinco jogos e só resultados positivos. O Brasil venceu Equador, Colômbia, Argentina, Chile e novamente a Argentina, conquistando o título de forma invicta.

O Brasil ainda fez quatro amistosos contra a Argentina em casa – dois no começo da temporada e outros dois no final de agosto. Mais quatro vitórias somadas para a seleção brasileira em 2019.

No encerramento da temporada, mais 11 jogos – desta vez em apenas 15 dias – pela Copa do Mundo. Difíceis confrontos e um planejamento preciso para que tudo desse certo neste período tão desgastante. E deu. O Brasil venceu as 11 partidas (sobre Canadá, Austrália, Egito, Rússia, Irã, Argentina, Estados Unidos, Tunísia, Polônia, Japão e Itália), e assegurou o título de forma invicta.

Além do título, o Brasil contou com três atletas premiados individualmente: o central Lucão, o líbero Thales e o oposto Alan, este eleito o melhor jogador do campeonato. Um dos mais experientes da equipe, o campeão olímpico Lucão avaliou a campanha da equipe na Copa do Mundo.

“A nossa campanha falou por si. Conseguimos ganhar todos os jogos. Claro que tivemos dificuldades com alguns times, alguns que erravam menos, que não são muito de usar a força. Mas foi uma campanha irretocável, o grupo esteve bem o tempo inteiro, e mesmo nos momentos difíceis, em que poderia deixar escapar, conseguimos manter a resiliência. Sabíamos que o campeonato era longo e difícil e qualquer torpeço poderia mudar o resultado final”, disse o central.

O líbero Thales também falou sobre a competição que encerrou a temporada da seleção brasileira. “Nossa campanha foi quase perfeita. Tivemos alguns vacilos em um set ou outro, mas jogamos bem em todos os jogos, contra adversários difíceis. Conseguimos dar uma cara para a nossa equipe, evoluir desde o final da Liga das Nações até hoje. Fiquei muito feliz com a minha primeira premiação individual pela seleção. Mas isso não quer dizer nada, ainda há muito o que melhorar”, concluiu Thales.

A campanha da seleção brasileira feminina na temporada 2019 contou com retorno de nomes importantes e uma campanha consistente nos cinco torneios disputados. O principal objetivo, a vaga olímpica, foi conquistada no Pré-Olímpico disputado em Uberlândia (MG), com três vitórias em três jogos – sobre República Dominicana, Azerbaijão e Camarões. Além disso, a equipe demonstrou sua força, e mesmo com desfalques, conquistou a prata na Liga das Nações, após disputas 19 partidas e perder somente seis jogos.

O grupo comandado por José Roberto Guimarães ainda venceu o Campeonato Sul-Americano, realizado no Peru, com campanha invicta de cinco resultados positivos. Nos Jogos Pan-Americanos, um time composto por jovens que buscam adquirir experiência com a camisa verde e amarela realizou campanha com cinco jogos e três derrotas. E diante da torcida, em amistosos realizados em Suzano (SP), a equipe também venceu a Argentina duas vezes.

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro


Parceiros Oficiais