Frustrada por não jogar, sexagenária dá exemplo de companheirismo

Parceira

12 de novembro de 2017

Ao lado da quadra Denise observa o desempenho da sua equipe no Vôlei Master 2017

(Thiago Paes/CBV)

De Saquarema (RJ), Jandrey Vicentin – 12.11.2017

O Vôlei Master a cada edição revela histórias de superação que servem de exemplo para as novas gerações. Os jogos realizados no Centro de Desenvolvimento de Voleibol (CDV), em Saquarema (RJ), mostram que atitudes tradicionais de respeito, companheirismo e superação ganham cada vez mais força.

Em uma das quadras do CDV se destaca uma senhora de cabelos brancos. Em pé, na área de aquecimento da sua equipe ela impulsiona uma legião de “meninas” a conquistarem a vitória. Lesionada, a tristeza de não estar em quadra se camufla nos gritos de incentivo para as companheiras de equipe.

Denise Cook, 69 anos, carioca, não foi nenhuma atleta profissional, mas lembra do tempo em que o voleibol entrou em sua vida: há mais de 50 anos. Nas quadras do Tijuca Tênis Clube, zona norte do Rio de Janeiro, o voleibol por diversão transpassou décadas, reunindo histórias, vitórias, lesões, e o que Denise mais destaca, amizades.

“Se tem um título que eu mais me orgulho? Acho que estar com quase 70 anos e ter centenas de amigas que o voleibol me deu”, diz Denise apontando para quatro equipes em atuação no ginásio.

No Vôlei Master 2017 a sexagenária defende o Fluminense (RJ), e a equipe venceu os dois jogos realizados até a manhã deste domingo (12.11) na categoria 63+/67+/70+, e lidera o grupo único e é uma das favoritas ao título ao lado do UAI Brasil (MG).

Desde a primeira edição do Vôlei Master, ainda pelo Clube Militar (RJ), Denise veio a Saquarema por insistência das amigas de clube.

“Eu não posso jogar. Estou machucada. É terrível estar aqui e não poder me divertir em quadra. Há quatro anos estou no Fluminense, treinamos duas vezes por semana, e o vôlei é a minha vida. Somos amigas, e elas são tão pacientes comigo durante o ano, que, não pude deixar elas sozinhas aqui.” encerra ela fechando o pulso, vibrando com mais um ponto da equipe.

Na categoria 63+/67+/70+ feminino, seis equipes se enfrentam em grupo único, e os dois melhores colocados disputam a final. Fluminense e UAI Brasil lideravam ao final de duas rodadas com duas vitórias. Clube Militar 67 (RJ), Alexandre Vôlei (MG) aparecem em segundo com uma vitória e uma derrota, e, Clube Militar 70 (RJ) e Rio Raça (RJ) ainda não pontuaram.

Além das disputas acirradas nas quadras de areia e do ginásio, que acontecem diariamente, o CDV oferece uma grande estrutura de entretenimento, alimentação e lazer para os atletas e visitantes que passarão pelo Vôlei Master ao longo dos oito dias de evento.

A competição também serve para movimentar a economia da cidade de Saquarema, na Região dos Lagos no litoral fluminense, que considera a competição como principal evento do calendário municipal. Uma equipe de aproximadamente 100 profissionais entre árbitros, delegados, prestadores de serviços e colaboradores da CBV trabalharão para que o Vôlei Master 2017 seja mais um grande sucesso.

VEJA OS RESULTADOS DO VÔLEI DE PRAIA (DUPLAS)
http://www.aplicativoscbv.com.br/masterpd2/tabelad.asp

VEJA OS RESULTADOS DO VÔLEI DE PRAIA (QUARTETOS)
http://www.aplicativoscbv.com.br/masterpq2/tabelaq.asp

VEJA OS RESULTADOS DO VÔLEI DE QUADRA
http://www.scconsultoria.com.br/master-2017/

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro