Em jogo de muita luta, Brasil é superado pelo Japão na Liga das Nações masculina

Esforço até o fim

22 de junho de 2023

Seleção brasileira não conseguiu encerrar invencibilidade japonesa

(Volleyball World)

Em partida com muita luta, a seleção masculina não conseguiu acabar com a invencibilidade do Japão na Liga das Nações 2023. Nesta quinta-feira (22.06), o Brasil se recuperou no jogo, mas foi superado no tie-break por 3 sets a 2 (23/25, 21/25, 25/18, 25/22 e 16/18) em Orléans, na França. O maior pontuador brasileiro foi o oposto Alan, com 20 pontos. O japonês Ishikawa fez 27 pontos.

O Brasil volta a jogar no sábado, às 11h30 (horário de Brasília), quando enfrenta a Eslovênia. O sportv 2 transmite o confronto ao vivo.

A seleção brasileira entrou em quadra nesta quinta com Bruninho, Alan, Lucarelli, Honorato, Lucão, Otávio e o líbero Thales. Entraram Fernando Cachopa, Felipe Roque, Adriano, Flavio, Maique, Judson e Arthur Bento.

Renan Dal Zotto, técnico do Brasil: “A gente tentou a vitória o tempo todo. É uma competição longa, temos que pensar no desenrolar da competição e vamos tentar já focar para o próximo jogo, mas temos que tirar alguns aprendizados. Entramos um pouco lentos no início da partida. E o Japão impecável, não podemos tirar o mérito do Japão em momento algum. Mesmo com as dificuldades, com o Japão jogando bem, a equipe lutou o tempo todo, buscou ponto a ponto, e acabamos perdendo o jogo no detalhe, 18/16 no tie-break. Sabíamos que ia ser um jogo muito equilibrado. Mas a gente tem que acreditar no processo. Estamos evoluindo, pensando sempre em crescer, e tudo isso faz parte da nossa caminhada”.

Honorato, ponteiro, marcou 16 pontos (11 de ataque, quatro de bloqueio e um de saque): “Acho que a equipe japonesa tem todo mérito por esta vitória. É uma equipe que está na ponta dos cascos, realmente pronta. Eles jogam juntos há cinco, seis anos e têm um entrosamento muito bom. Nossa equipe está em construção, se entrosando, então faz parte do processo. Acho que o que valeu foi nossa luta, a persistência que é a característica principal desse grupo, a gente deixou tudo dentro de quadra hoje. Agora é seguir para o próximo jogo. A temporada é longa e acredito que a gente ainda vai evoluir muito, ainda tem muito lastro para evoluir”.

LIGA DAS NAÇÕES

1ª SEMANA – OTTAWA (CAN)

07/6 – Brasil 3 x 1 Alemanha (26/24, 25/16, 19/25 e 25/15)
08/6 – Brasil 3 x 2 Argentina (19/25, 25/19, 23/25, 25/23 e 15/13)
10/6 – Brasil 2 x 3 Cuba (16/25, 25/22, 29/27, 22/25 e 18/20)
11/6 – Brasil 3 x 1 Estados Unidos (25/19, 21/25, 25/15 e 25/21)

2ª SEMANA – ORLÉANS (FRA)

20/6 – Brasil 3 x 0 Bulgária (25/22, 25/17 e 25/15)
22/6 – Brasil 2 x 3 Japão (23/25, 21/25, 25/18, 25/22 e 16/18)
24/6 – Brasil x Eslovênia, às 11h30 (horário de Brasília) – sportv 2 
25/6 – Brasil x França, às 12h30 (horário de Brasília) – sportv 2 

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro