Em casa no Canadá, caçula Arthur Bento estreia pela seleção adulta na Liga das Nações

Cenário familiar

6 de junho de 2023

Criado no Canadá, Arthur Bento está de volta ao país com a seleção

(Divulgação/CBV)

A estreia de Arthur Bento na seleção brasileira adulta parece um roteiro muito bem pensado. Convocado pelo técnico Renan Dal Zotto, o ponteiro de 2,08m dá seus primeiros passos na equipe no Canadá, país onde viveu dos 5 aos 15 anos, e onde sua família ainda mora. Como se não bastasse, o caçula da equipe verde-amarela completa 19 anos na quinta-feira (08.06). Um dia antes, na quarta, o Brasil disputa seu primeiro jogo na Liga das Nações masculina, diante da Alemanha, às 21h (de Brasília), com transmissão do sportv 2.

“Não sei nem o que falar. É legal fazer o aniversário no meio da Liga das Nações. Vou passar um pouco de vergonha também, meus pais provavelmente vão estar com uma placa na torcida… Não sei o sentimento ainda. Estou estreando em uma Liga das Nações. Vai ser legal demais esse dia”, disse Arthur. “A experiência está sendo ótima, estou gostando demais de estar na seleção. Sou muito grato por estar aqui e pelo Renan reconhecer o meu trabalho”.

O primeiro jogo pela seleção adulta foi na quinta-feira, em amistoso contra o Canadá em Gatineau, com a presença de sua irmã e de amigos na torcida. No segundo confronto com os canadenses, foi dele o ponto que definiu a vitória brasileira por 3 sets a 1.

“Muito bacana conseguir fazer a estreia aqui no Canadá, onde cresci e passei 10 anos da minha vida. Vi alguns amigos que estão na seleção sub-21 do Canadá, com quem joguei desde os oito anos. Meu parceiro de vôlei de praia, com quem joguei por seis anos direto, estava lá me vendo jogar, me abraçou depois”.

O técnico Renan Dal Zotto ressalta a conexão do trabalho das seleções de base e o time adulto, fundamental na trajetória de Arthur Bento. “A seleção principal e as de base têm um trabalho muito conectado. O Arthur e o Thiery foram bem no Sul-Americano sub-21 do ano passado e fizeram uma boa Superliga. O Arthur Bento é um jogador bem jovem e maduro ao mesmo tempo, que vem mostrando qualidades. Ele está tendo uma oportunidade importante. É uma filosofia da CBV buscar o melhor resultado, mas sempre pensando no futuro do voleibol e na renovação. Por isso precisamos sempre abrir frentes e dar oportunidades a esses atletas mais jovens”, explica o técnico do Brasil.

Filho da ex-jogadora de vôlei de praia Adriana Bento, Arthur foi morar no Canadá aos 5 anos, depois que seu pai, o ex-nadador da seleção brasileira Maurício Buczmiejuk, recebeu uma proposta de trabalho no país. Até os 8 anos, jogou futebol, mas acabou migrando para o vôlei. E foi justamente o esporte que fez com que ele voltasse ao Brasil, em 2019.

“Foi uma decisão difícil. O planejado era eu ficar dois meses no Brasil, disputar uns torneios e voltar para o Canadá para terminar o colégio aqui. Mas eu gostei muito quando estava lá, falei com a minha mãe que queria ficar no Brasil, e ela me ajudou nessa decisão. Tinha dias em que eu sentia muita saudade, mas eu fui muito bem recebido no Minas Tênis Clube. E eu gosto muito de jogar vôlei, então ia treinar toda hora, ia ver treino, ajudar a pegar bola no treino do adulto. E isso me ajudava a não pensar que estava longe da família”, lembra.

Para Arthur, é justamente esse gosto pelo vôlei e sua curiosidade para aprender que o ajudaram a chegar à seleção tão jovem.

“Minha evolução também foi por ser curioso, perguntar muito. Minha curiosidade me fez evoluir mais, passar mais rápido pelos passos. No primeiro amistoso, eu perguntei coisas para o Flavio, para o Adriano, porque eu estava um pouco nervoso com a estreia. E eles me ajudaram. Estou aprendendo muita coisa com a comissão técnica e com os atletas”

Os 14 relacionados para a primeira etapa da Liga das Nações, em Ottawa, são os levantadores Bruninho e Cachopa, os opostos Abouba e Alan, os ponteiros Adriano, Arthur Bento, Honorato e Lucarelli, os centrais Flávio, Judson, Otávio e Thiery, e os líberos Maique e Thales.

A comissão técnica é formada pelo técnico Renan Dal Zotto, o supervisor Fernando Maroni, o assistente técnico Ricardo Tabach, os auxiliares técnicos Carlos Schwanke e Giuliano Ribas, o preparador físico Renato Bacchi, o médico Ney Pecegueiro Do Amaral, o fisioterapeuta Matheus Cardoso, e o massoterapeuta Kleevans Albuquerque.

LIGA DAS NAÇÕES: 

1ª SEMANA – OTTAWA (CAN)

07/06 – Brasil x Alemanha, às 21h (horário de Brasília) – sportv 2
08/06 – Brasil x Argentina, às 21h (horário de Brasília) – sportv 2 
10/06 – Brasil x Cuba, às 17h30 (horário de Brasília) – sportv 2
11/06 – Brasil x Estados Unidos, às 15h30 (horário de Brasília) – sportv 2 

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro