Álvaro e Saymon superam calor e repetem vitória sobre Evandro/André em Maceió

Repeteco

19 de fevereiro de 2017

Saymon e Álvaro conquistam o terceiro título de etapa na temporada 16/17

(Daniel Zappe/MPIX/CBV)

Álvaro Filho e Saymon (PB/MS) superaram uma sensação térmica superior aos 40ºC na Praia da Pajuçara para derrotar Evandro e André Stein (RJ/ES) na manhã deste domingo (19.02), na decisão da etapa de Maceió do Circuito Brasileiro Open de vôlei de praia. Foi uma reedição da disputa pelo ouro no Major Series de Fort Lauderdale, nos EUA, com o mesmo final. Vitória de virada, por 2 sets a 1 (19/21, 21/16, 15/6), em 1h05 de duração.

Com o resultado, Álvaro e Saymon somam agora três ouros, três pratas e um bronze nas sete etapas da temporada 2016/2017 do Circuito Brasileiro. Não ficaram de fora do pódio em nenhum torneio. O próximo compromisso dos times é na etapa de Aracaju (SE) do tour nacional, que será realizada de 17 a 19 de março.

Após o título, o paraibano Alvinho fez questão de elogiar o nível técnico do tour nacional e a dupla adversária, que em apenas três torneios, alcançou duas vezes uma final.

"Foi um jogo muito duro, decidido apenas no tie-break. O time deles tem evoluído bastante, mesmo sendo uma dupla nova. Um time com um sacador excepcional, dois atletas altos, bons bloqueadores. É um exemplo de que o Brasil está bem representado por todas as equipes, a força do nosso circuito é a semente disso", destacou Alvinho, que falou sobre a proximidade do título da temporada e a sorte que a camisa dourada lhe deu.

"A Confederação Brasileira de Vôlei está de parabéns, é uma ideia muito bacana, quem veste a regata dourada não quer perde-la, se torna um time a ser batido. E sobre as chances de título, na verdade nem penso na pontuação, temos sempre buscado nosso melhor voleibol dentro de quadra a cada treinamento, cada torneio. Nossa equipe têm nos ajudado bastante nessa evolução, e agora vamos curtir mais um título difícil".

Álvaro Filho e Saymon se mantêm na liderança do ranking geral da temporada, agora com 2.600 pontos. Eles também recebem uma premiação de R$ 45 mil pela primeira colocação. Evandro e André, que estão apenas na segunda etapa nacional juntos, somam 560 pontos após a prata. Alison e Bruno Schmidt aparecem no segundo lugar – 1.880 pontos -do ranking geral, que soma o desempenho das duplas em cada uma das etapas.

Na disputa da medalha de bronze, Oscar e Hevalo (RJ/CE) superaram Pedro Solberg e Guto (RJ) por 2 sets a 1 (21/19, 16/21, 15/12). Eles somam 320 pontos no ranking geral e recebem prêmio de R$ 20.660,00. Hevaldo lembrou que a dupla disputará etapas do Circuito Mundial e Circuito Sul-Americano, e comemorou a evolução apresentada pela parceria.

"O calor estava muito grande, uma sensação térmica maior do que tivemos até nos outros dias. Fizemos um jogo a mais que eles, pela repescagem, e o físico estava caindo, mas o Oscar me ajudou demais. Definimos bem a estratégia, tivemos uma preleção muito produtiva. A evolução que tivemos é até mais importante que subir ao pódio. O nível está alto demais, com muitos times em um patamar parecido, então jogar bem é o principal".

O Jogo
Sob um sol escaldante, os times começaram com muito equilíbrio, trocando pequenas vantagens de um ponto no placar. Após a parada técnica, Alvinho e Saymon chegaram a abrir dois pontos, mas Evandro conseguiu uma boa sequência de saques e virou o placar para 18 a 16, forçando pedido de tempo do técnico Ernesto Vogado, do CT Cangaço. Não adiantou, e Evandro/André fechou o primeiro set por 21 a 19.

Álvaro e Saymon começaram melhor no segundo set, abrindo 3 a 1 no placar. A vantagem foi sendo mantida, com boa regularidade do sul-mato-grossense e do paraibano na virada de bola. Com dificuldades na recepção de André, Ednilson Costa pediu tempo com desvantagem de 9 a 5 no placar. Embalados, Álvaro e Saymon não deram chances e abriram larga diferença no marcador, fechando por 21 a 16 e levando o jogo para o tie-break. 

O set de desempate começou como o segundo havia terminado, vantagem de Álvaro e Saymon, com Ednilson Costa pedindo tempo após três pontos diretos dos adversários. Não funcionou, e a vantagem chegou a 8 a 0 para Alvinho/Saymon. Exaustos e desconcentrados, o carioca e o capixaba viram a vitória ficar distante após outro erro na virada de bola: 11 a 0. Apenas mantendo a virada, os atuais líderes do ranking fecharam o duelo por 15 a 6.

Estrutura
Cada etapa leva em média 10 dias de montagem, com cerca de 50 pessoas trabalhando na montagem da arena. Em Maceió foram utilizadas quatro quadras de jogo e duas quadras de aquecimento. A estrutura de todo esse evento viaja em 12 caminhões pelo Brasil. A arena central conta com capacidade para 1 mil pessoas, entre arquibancada de público, área VIP e área de atletas e imprensa. Tudo com transmissão dos jogos no Facebook da CBV.

Somando os dois naipes, cada etapa do Circuito Brasileiro Open distribui mais de R$ 420 mil aos atletas. A temporada 2016/2017 é composta por nove etapas. Ele já passou por Campo Grande (MS), Brasília (DF), Uberlândia (MG), Curitiba (PR), São José (SC) e João Pessoa (PB). Os próximos destinos são Aracaju (SE), em março, e Vitória (ES), em abril.

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro